Os inibidores de PDE-5 – drogas da mesma classe do famoso Viagra – são
medicamentos destinados aos homens que sofrem de impotência e disfunção erétil
para que consigam ter relações sexuais. O comprimido também é conhecido por
manifestar uma lista de efeitos colaterais, como olhos secos, hemorragia ocular,
tosse, sonolência, tontura, dor de cabeça, boca seca, entre outros. Esse remédio é
amplamente utilizado ao redor do mundo e pode causar distúrbios temporários de
visão em homens saudáveis. Sendo assim, o medicamento deve ser tratado como
qualquer outro e precisa ser prescrito por médicos especializados no assunto.

O citrato de sildenafil é o principal ingrediente nos comprimidos do Viagra e o
responsável pela “anti-impotência”.

Esse componente pode prejudicar a visão dos
usuários que possuem problemas de vista, podendo provocar uma alteração
temporária, como enxergar os objetos nas cores verde ou azul, ou até mesmo
danos permanentes, como a cegueira.

Há diversos casos de homens que tomaram o sildenafil e perderam a visão
permanente. Normalmente, esses pacientes desenvolvem uma doença chamada
“neuropatia óptica isquêmica anterior não-arteríca”, também conhecida como
NAION. Os usuários portadores de diabetes e hipertensão são mais suscetíveis a
apresentarem este problema.

Em estudos realizados pela Universidade de New South Wales com camundongos,
os pesquisadores descobriram que os ratos portadores do gene mutante
desencadeavam a doença e morte celular nos olhos, já os ratos saudáveis apresentavam problemas temporários de visão. Portanto, conclui-se que os
portadores de determinados genes podem ser mais susceptíveis a cegueira quando
utilizam esta classe de medicamento. Este estudo foi publicado na revista científica
“Experimental Eye Research”.

Se você é usuário do medicamento, fique atento. Ele só deve ser utilizado mediante
prescrição médica.