Um paciente com anisometropia possui graus distintos em cada um dos olhos. Ou seja, há uma grande diferença de erro refrativo entre eles. Essa condição pode interferir no desenvolvimento ocular e na visão binocular. Continue a leitura e veja quais são os tratamentos disponíveis para essa complicação.

O que é Anisometropia?



A anisometropia é caracterizada pela diferença de foco entre os dois olhos, causado pela diferença de graus em cada um deles. Entre os sintomas da doença estão dor de cabeça, visão turva, tontura, desconforto visual para enxergar, cansaço, má percepção de profundidade, ambliopia ou “olho preguiçoso”.

Qual é a causa para o surgimento da Anisometropia?

A anisometropia surge quando a forma ou tamanho de algumas estruturas de um dos olhos é diferente um do outro. Também pode ocorrer após o descolamento de retina, crescimento assimétrico de um olho em relação ao outro, tumores intraorbitários ou erro de cálculos de implantes de lente intraocular na cirurgia de catarata.

 

Quais são os tipos?

 


A anisometropia pode ser de 3 tipos:

Anisometropia simples:

um olho possui visão normal e o outro apresenta algum problema de visão como miopia, hipermetropia ou astigmatismo. 

Anisometropia composta:

o paciente possui os dois olhos com o mesmo problema refracional, mas ainda sim há uma diferença significativa entre eles.

Anisometropia mista:

quando cada olho desenvolve um problema de visão distinto. No caso, um olho possui miopia e outro hipermetropia, por exemplo.

Qual o tratamento?



O primeiro passo é procurar um oftalmologista! No consultório, o especialista poderá analisar detalhadamente seu quadro clínico e indicar o melhor tratamento.

Em casos de graus mais baixos, é possível corrigir o erro refrativo usando somente óculos de grau.

Entretanto, casos onde a dioptria (graus) maiores, poderão ser indicados lentes de contato ou cirurgias.

Visite seu oftalmologista de confiança e saiba mais.